Powered by CIM|RC

na cidade

Portugal já tem um centro de tecnologias criativas — fica em Coimbra

TUMO Coimbra vai disponibilizar formação gratuita em várias áreas para jovens dos 12 aos 18 anos a partir de 2 de outubro.
Governo quer abrir mais cinco centros TUMO

O antigo edifício dos Correios, Telégrafos e Telefones (CTT) de Coimbra, ao lado do Mercado Municipal D. Pedro V, vai ser a casa do TUMO Coimbra, o primeiro centro de tecnologias criativas de Portugal. A inauguração decorreu esta quinta-feira, dia 28 de setembro, às 17 horas. O projeto conta com um investimento de 7 milhões de euros, que vão servir para financiar os seus primeiros quatro anos de vida. Além dos fundadores do projeto TUMO e dos representantes das entidades parceiras, esteve presente também a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

O TUMO Coimbra é um programa educativo para jovens dos 12 aos 18 anos, que incide sobre várias áreas de competência artística. O objetivo do TUMO Coimbra é a criação de um espaço que consiga “capacitar a próxima geração com competências do futuro”, segundo o comunicado de imprensa. As sessões de aprendizagem ocorrem duas vezes por semana e podem incidir em oito âmbitos: Fotografia, Animação, Desenvolvimento de Jogos, Programação, Música, Design Gráfico, Cinema e Robótica.

As atividades desenvolvidas pelo centro de tecnologias criativas são totalmente gratuitas. Os jovens participantes podem escolher várias áreas dentro do seu interesse. Filipa Cunha, diretora do TUMO Coimbra, considera que a inauguração do novo espaço é um momento importante e “um veículo de oportunidades para os jovens de Coimbra”. A responsável pelo projeto salienta ainda que o novo centro ambiciona “fazer da aprendizagem um aliado para toda a vida”, através de “algo estimulante e diretamente ligado aos interesses de cada um”. Cada área tem especialistas que vão estar encarregues de dar a formação.

O espaço que alberga o TUMO Coimbra tem cerca de 2000 metros quadrados e foi alvo de várias intervenções. Atualmente, o antigo edifício dos CTT de Coimbra encontra-se equipado com tecnologia de ponta e vai poder começar a receber pessoas a partir de 2 de outubro. A união entre a criatividade e a tecnologia é a força motriz do projeto e “permite que os jovens estimulem inúmeras competências sociais” desde a capacidade de inovar à análise e espírito crítico, de acordo com o comunicado.

Pedro Santa Clara, mentor do projeto, salienta que o centro de tecnologias criativas “se tornou um player mundial no desenvolvimento de competências digitais para jovens”. Reforça ainda que a aposta na abertura de um centro TUMO vai possibilitar “impacto imediato e alargado” nessa vertente. O mentor refere também que a possibilidade de aprender consoante o ritmo de cada um é essencial para “promover a criatividade e a autoconfiança” dos jovens que ingressem no programa.

Equipa responsável pelo TUMO Coimbra.

O centro de tecnologias criativas contou com várias parcerias, tanto privadas como públicas. José Manuel Silva, presidente da Câmara Municipal de Coimbra, uma das entidades parceiras, considera um privilégio para Coimbra a oportunidade de “receber o primeiro centro de tecnologias digitais e criativas TUMO em Portugal”. O autarca reforça que o concelho de Coimbra é “repleto de potencial e de talentos”, o que constitui uma prova da nova energia municipal. Salienta ainda que a recuperação e reabilitação do antigo edifício dos CTT para construir o novo centro “vai ainda resultar em novas dinâmicas para a zona central da cidade”, sobretudo para a revivificação da Baixa de Coimbra e do próprio Mercado Municipal D. Pedro V. Para José Manuel Silva, “nada para um jovem determinado e criativo”, pelo que a abertura do novo centro de tecnologias criativas é “um dia de grande orgulho”.

Já a Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, reforça a importância do centro TUMO Coimbra enquanto elevador social. Salientou que o governo se revê neste projeto por ser inclusivo e “tratar todos por igual”. Reitera também que é importante “apostar nas parcerias público-privadas virtuosas” para fazer a diferença. A governante adianta que o governo pretende comprometer-se para a abertura de, pelo menos, cinco centros TUMO no País inteiro, expressando vontade de que um deles se situe no interior de Portugal. Termina ao dizer que, no âmbito da educação, além da preocupação com a “igualdade de oportunidades à entrada”, é preciso começar a prestar atenção “à igualdade de oportunidade à saída”.

O conceito por detrás do centro TUMO nasceu na Arménia, em 2011. Marie Lou e Pegor Papazian são os fundadores do projeto que, atualmente, conta já com 25 mil inscritos a nível mundial. A internacionalização do centro começou em 2018 e traduziu-se na abertura de um total de dez centros espalhados pelo mundo. Além da abertura do centro de tecnologias criativas em Coimbra, durante o ano letivo de 2023/2024 estão previstas a inauguração de mais centros na Alemanha e nos Estados Unidos da América.

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA