Powered by CIM|RC

na cidade

Já abriu a escape room mais desafiante do País — e é em Penacova

É o novo desafio da empresa de animação turística Wild Life. O mais importante é mesmo o trabalho de equipa.
É só para os mais corajosos.

Se tem medo do escuro, é melhor não se atrever a entrar no novo escape room que abriu em Penacova, no distrito de Coimbra. Lá dentro, não há qualquer luz e terá de usar todos os outros sentidos para conseguir escapar — e tem duas horas para desvendar todos os enigmas.

Chama-se Dark Extreme e é o novo desafio da Wild Life, uma empresa de organização de eventos e animação turística que nasceu em janeiro de 2021. O projeto foi criado pelo casal Marcelo Batista e Daniela Gato, ambos com 25 anos, numa altura em queriam “mudar um pouco a vida”.

Cansados de ganharem 700€ por mês — ela trabalhava no Continente e ele era mecânico na Norauto —, resolveram unir esforços para criarem um negócio. E não podia ter corrido melhor. “Somos os dois de famílias humildes e começámos a pensar no que poderíamos fazer para dinamizar aqui a zona e aumentar as nossas fontes de rendimento, sem ser preciso um grande investimento”, conta à NiT o jovem.

Durante um jantar, depois de muitas trocas de ideias, chegaram à conclusão que podiam investir no paintball e na organização de eventos ali na região. “Arranjámos um armazém em Coimbra para guardar os materiais e comprámos os equipamentos necessários”, revelam. 

Como o espaço tinha bons acessos e estava afastado de prédios e estradas, aproveitaram o terreno florestal para criar aquele que se tornaria no maior campo de paintball em Portugal, com a possibilidade de ter até 100 jogadores em simultâneo a jogar num cenário incrível.

O jogo de ação e estratégica em que se atiram bolas com tinta colorida foi apenas o início. Investiram o lucro que conseguiram para ampliar e diversificar a oferta e acabaram por entrar no mundo das escape rooms.

“Fomos fazer algumas experiências do género para perceber melhor o conceito e, a partir daí, pusemos mãos à obra”, recorda. No entanto, queriam criar algo que fosse diferente daquilo que já existe em Portugal.

“Queríamos que fosse enorme, com várias salas, e com a duração de duas horas, em vez dos habituais 60 minutos”, explicam. Quanto ao tema, queriam que fosse “algo mítico” e pensaram na saga “Saw”, cujo primeiro filme estreou em 2004.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Wild Life Penacova (@wild_life_24.7)

Em maio do ano passado, abriram a Extreme Saw, um dos “maiores e mais desafiantes escape rooms da Europa”. Assim que o portão se abre, os jogadores entram numa sala escura, presos por uma corrente. 

Quando conseguirem acender a luz, a primeira coisa que veem será uma frase mítica do filme, “I want to play a game”. Durante duas horas, os jogadores terão de ultrapassar vários enigmas e desafios para conseguir escapar das cinco divisões.

Ao contrário do que acontece em atividades do género, aqui terá de usar o corpo para rebolar ou rastejar. “Quisemos criar vários ambientes para que sentissem diferentes emoções”, revela. O jogo é tão desafiante que, até ao momento, só um grupo foi capaz de sair sem ajudas.

A primeira experiência foi um sucesso tão grande que os clientes começaram a pedir mais — e a Wild Life fez-lhes a vontade. No dia 29 de janeiro, segunda-feira, abriram portas ao segundo escape room, com um conceito ligeiramente diferente: é todo às escuras.

“Só havia uma do género em Portugal, no Estádio do Dragão, e fomos lá perceber como funcionava. Achamos a ideia engraçada e desafiante, mas queríamos juntar mais um pouco de história”, admite Marcelo.  

A história da Dark Extreme começa com um assassino em série que está à solta e desaparecem quatro crianças numa aldeia. “Suspeitam de uma casa e a equipa vai lá averiguar o que se passa. A missão só acaba quando perceberem o que aconteceu às crianças”, lê-se na descrição do jogo. 

A sala é mais pequena do que a anterior, com apenas uma divisão, uma vez que as pessoas terão de usar muito “o tato, a comunicação e o cheiro”. Possivelmente, terão até de colocar as mãos em “coisas esquisitas”.

Aqui, o mais importante é mesmo o trabalho de equipa. “Construímos isto para terem de se ajudar reciprocamente, é impossível fazer isto sozinho”, adianta. 

A missão está disponível para grupos de três até nove pessoas e custa entre 50 e 90€, dependendo do número de participantes. As reservas devem ser feitas através do e-mail wilf_life_penacova@nullhotmail.com, pelo Instagram ou pelo número de telemóvel 915 818 373.

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA