na cidade

Coimbra vai transformar-se na capital da magia com a nova edição dos Encontros Mágicos

Evento vai contar com a presença de mágicos de nove países. Aulas, magia de rua e as tradicionais galas internacionais compõem a programação.
Luís de Matos, mágico de renome, é produtor do evento.

Coimbra vai ter magia a percorrer as suas ruas entre os dias 19 e 24 de setembro. A 27.ª edição dos Encontros Mágicos foi apresentada esta quarta-feira, dia 13 de setembro, em conferência de imprensa, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Coimbra (CMC). Luís de Matos, mágico e produtor do evento, esteve presente, assim como o presidente da Câmara, José Manuel Silva e Maria Carlos Pêgo, diretora do Departamento de Cultura e Turismo da CMC.

A abertura oficial do evento vai ocorrer na terça-feira, dia 19 de setembro, pelas 11 horas. A partir daí, todos os eventos começam entre as 10 e as 11 horas. Os vários eventos da programação vão estar descentralizados e espalhados pelos vários recantos de Coimbra.

O programa deste ano assenta segundo três vetores, de acordo com Luís de Matos. Em primeiro lugar, estão previstas as habituais demonstrações de magia de rua, a acontecer em espaços como a praça 8 de Maio, a rua Ferreira Borges e a praça do Comércio. O Convento de São Francisco (CSF) vai acolher também aulas de magia para os jovens. Para os mais novos que tenham necessidades educativas especiais, as aulas vão ter lugar na Associação de Famílias Solidárias com a Deficiência Cavalo Azul. Por último, estão também agendadas as tradicionais galas internacionais, marcadas para sexta, dia 22, e sábado, dia 23, para o grande auditório do CSF.

Ao longo de uma semana são esperados artistas vindos de nove países, das mais variadas vertentes da magia enquanto arte performativa. Alguns destaques vão para Amèlie, de Espanha, que Luís de Matos salienta como sendo “uma poetisa” na sua arte. Também destacou a presença de Amino-San, mágico japonês, que faz os seus espetáculos numa língua inventada, algo que o mágico considera importante para demonstrar que “as palavras são irrelevantes” para passar a emoção envolvente da performance. O produtor salienta ainda Artem Shcukin, mágico russo e mestre na magia de manipulação, que fugiu da Rússia na altura em que a guerra mostrava sinais de começar.

O orçamento disponibilizado este ano por parte do município reduziu em relação ao ano anterior, estando previstos cerca de 75 mil euros para apoiar a produção dos Encontros Mágicos. Em relação a este valor, Luís Matos salienta apenas que “se reduziu em quantidade, mas não em qualidade”. Continua a haver uma grande aposta por parte da organização em ir buscar nomes nacionais e internacionais relevantes no mundo da magia, para manter a essência do evento, acrescenta.

José Manuel da Silva salienta que os Encontros Mágicos são um “evento único”, cuja importância passa pela sua ligação à cidade. Já Maria Carlos Pêgo destaca “a identidade própria” do evento e apela à participação nos Encontros Mágicos.

As demonstrações de magia de rua são gratuitas. As aulas de magia também são de acesso livre, mas requerem inscrição, por telefone ou via email. As galas internacionais têm um custo de 20€ por pessoa. Os bilhetes estão disponíveis na bilheteira online e no CSF.

Os 1.º Festival Internacional de Magia de Coimbra aconteceu pela primeira vez em 1992, com a organização do município. O festival esteve parado cinco anos, até que regressou em 1998, integrado naquilo que hoje conhecemos como Encontros Mágicos.

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA