na cidade

A antiga estação ferroviária da Lousã foi transformada num alojamento local

O espaço histórico da aldeia foi desativado por falta de segurança. Este ano, ganhou uma nova vida.
Para fugir da confusão da cidade.

A estação ferroviária da Lousã foi construída no início do século XX pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses. Inicialmente, foi concebida com o objetivo de aumentar o fluxo turístico na época. Um dos maiores destaques da decoração são os grandes painéis de azulejos, sendo que um deles representa a vila da Lousã antes da chegada desta estação.

A 16 de dezembro de 1906, nasceu o primeiro Ramal da Lousã, que une Coimbra à Lousã. Em 1913, a estação passou a ser servida por carreiras de diligência por Arganil, Pombeiro da Beira, Góis, Cabeçadas de Alvares e Vila Nova de Poiares. O troço foi alvo de melhoramentos, em 1919, maioritariamente entre a Castanheira de Pêra e a estação da Lousã.

Apesar de estar desativada há mais de duas décadas, a abertura da estação foi um dos principais fatores que contribuíram para o desenvolvimento da vila da Lousã. O caminho foi encerrado devido a um trágico acidente na linha de comboio, em 2002. Dois comboios da mesma operadora colidiram no Ramal da Lousã, provocando cinco mortes e 11 feridos.

Apesar de ter ficado determinado que a causa do acidente foi falha humana, existiam muitas dúvidas relativamente à segurança do troço, uma vez que não existia sinalização automática. Já nessa altura, a estação funcionava apenas como um ponto de cruzamento entre comboios. Por isso, a Câmara Municipal da Lousã aproveitou a oportunidade e, em conjunto com Coimbra e Miranda do Corvo, começou a delimitar os primeiros projetos para o metro de superfície.

Em 2009, o ramal de Lousã ficou oficialmente desativado e arrancou simultaneamente o projeto da conversão do ramal para receber um metro de superfície: o Metro do Mondego. Apesar do projeto ferroviário não ter sido esquecido, a estação ficou abandonada, pelo menos, abril deste ano.

Fernando Pereira, o atual proprietário, decidiu voltar a investir na aldeia e transformou a histórica estação de Lousã num alojamento local. A Lousã Estação abriu a 25 de abril e promete revitalizar a região e a economia local.

A unidade tem apenas oito quartos que se dividem em duplos, twins e familiares. Todos eles são alusivos aos caminhos de ferro. Alguns exemplos são o “chefe de estação e família”, “maquinista e família”, “guarda da passagem de nível” e “quarto do fogareiro”. Todos têm casas de banho privativas. Além disso, contam com um bar com esplanada aberta ao público. Estão disponíveis os serviços de pequeno-almoço, segurança 24 horas, estacionamento, wifi e ar condicionado em todos os quartos.

Ainda que Lousã seja conhecida por ser um local calmo, isso não significa que não se possa divertir. O novo alojamento fica a pouco mais de um quilómetro do Parque Carlos Reis e a seis da Praça da República. Caso esteja calor e prefira explorar as praias fluviais, a Louçainha, distinguida com Bandeira Azul, fica apenas a 30 minutos de distância.

Para os fãs de natureza, a cascata do Candal fica apenas a cinco quilómetros do espaço. Se preferir conhecer as principais atrações de Coimbra, a Quinta das Lágrimas fica a 17 quilómetros e o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha está a 18 quilómetros.

Pode reservar a sua estadia através da plataforma online. O valor varia consoante o quarto e serviços que pretender. No entanto, o preço por noite ronda os 56€ a 82€ por pessoa.

Carregue na galeria para conhecer o novo alojamento local, Lousã Estação.

 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Largo do povo freguesia de Lousa e vilarinho
    3200-001 Lousã
ESTILO
alojamento local
PREÇO MÉDIO
Entre 50€ e 100€
AMBIENTE
familiar

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA