Powered by CIM|RC

fit

Investigadores testaram dietas diferentes em 22 gémeos: os vegetarianos ganharam

Para obterem resultados fidedignos, os que tinham uma alimentação omnívora, fizeram uma reeducação alimentar.
Os resultados foram surpreendentes.

O debate sobre qual é a melhor dieta é antigo e nunca vai terminar. Muitos argumentam que é a alimentação mediterrânica; outros defendem afincadamente que é o veganismo ou até o vegetarianismo. Investigadores da Universidade de Stanford quiseram, finalmente, perceber se uma é mesmo melhor que outra. Para isso, colocaram 22 pares de gémeos idênticos a seguirem regimes alimentares diferentes e os resultados foram surpreendentes.

Verificou-se uma redução de 10 a 15 por cento no colesterol LDL, uma redução de 25 por cento na insulina e uma redução de 3 por cento no peso corporal em apenas oito semanas. Tudo graças à ingestão de alimentos reais sem produtos de origem animal.” Os resultados foram publicados a 30 de novembro, na revista “JAMA Network Open”.

Os especialistas em nutrição atribuíram uma dieta vegan a um gémeo e uma omnívora a outro. Cada um seguiu a respetiva dieta durante oito semanas. No primeiro mês, ambos receberam todas as refeições, para poderem perceber quais os tipos de alimentos que deveriam ingerir.

“Muitas pessoas que fazem uma dieta vegana e pensam: ‘Oh, ótimo, os refrigerantes são vegan e as panquecas também’. Mas são refinados e ultraprocessados”, alerta o principal autor do estudo, Christopher Gardner, professor investigador de medicina no Stanford Prevention Research Center em Palo Alto, Califórnia, Estados Unidos. “Então, tentámos desenhar uma dieta vegana saudável e mostrar-lhes os resultados rapidamente, após quatro semanas.”

O grupo, que comia produtos de origem animal, também recebeu refeições para haver um equilíbrio na quantidade de vegetais, açúcar e cereais refinados. Após o período de reeducação alimentar, foi-lhes então pedido que preparassem refeições adequadas à dieta.

Durante o processo os investigadores fizeram análises e exames detalhados a cada voluntário. No final ficaram surpreendidos, porque os gémeos que seguiram a dieta vegana eram mais jovens nas medidas de idade biológica versus idade cronológica, dados que serão apresentados num estudo futuro, indicou Gardner.

“Os vegetarianos têm mais fibras e menos gordura saturada. Isso vai explicar o colesterol LDL. Mais fibra vai explicar menos insulina em jejum, porque a libertação de glicose na corrente sanguínea é mais lenta”, apontou.

“Os vegetais, frutas e grãos são mais volumosos do que a carne, portanto, as pessoas sentem-se mais saciadas e comem menos calorias.”

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA