fit

Adora pastéis de nata? Descobrimos a receita de versão XXL deliciosa e sem açúcar

Temos a certeza que os monges que os inventaram no século XIX ficariam igualmente maravilhados com esta opção.
Um sonho.

Os pastéis de nata são uma especialidade nacional que todos apreciam. E não nos referimos apenas aos portugueses — no início de fevereiro, a TasteAtlas distinguiu-o como um dos “100 melhores doces do mundo”. A receita foi criada por monges portugueses no século XIX. Para sobreviverem, os religiosos passaram a vender o doce numa refinaria de cana de açúcar perto do Mosteiro dos Jerónimos depois do fecho de muitos conventos devido à Revolução Liberal. O que estes não sabiam é que se tornariam num dos bolos mais consumidos no País.

Para muitos portugueses, o pastel de nata é um elemento essencial da rotina alimentar diária. Pode ser ao pequeno almoço, à sobremesa ou ao lanche, normalmente acompanhado por canela e um café. O problema é a quantidade de gordura e calorias que cada um destes bolos tem. Surpreendentemente, trata-se de uma das opções menos calórica que se vendem nas pastelarias. Ainda assim, 100 gramas deste símbolo nacional têm 299 calorias, 28 gramas de açúcar e 10,2 de gordura. Ou seja: são um verdadeiro atentado a qualquer dieta.

Se é mesmo fã deste bolo, o melhor é começar a fazê-lo em casa, de forma a controlar as quantidades de açúcar e dos restantes ingredientes. Sandra Nereu, do blogue “Panelinha de Sabores”, lançou agora uma versão gigante do pastel de nata, sem qualquer adição de açúcar. No entanto, trata-se igualmente de uma proposta doce e, portanto, tem algumas calorias. Como qualquer especialista em nutrição diria: “Pode comer, mas com moderação.”

Do que precisa

— 100 gramas de folhas de massa filo
— meia colher de sopa de azeite
— 550 mililitros de leite magro
— 50 gramas de amido de milho (maisena)
— 80 a 100 gramas de eritritol com stevia (ou outro tipo de adoçante)
— 2 paus de canela (opcional)
— 8 gemas

Como se faz

Aqueça o forno a 230 graus (é muito importante que o forno esteja a uma temperatura elevada no momento em que a colocar a tarte). Depois unte e forre a papel vegetal uma tarteira de 22 centímetros. Num tacho misture o leite com a maisena e o eritritol. Leve ao lume com os paus de canela, mexendo sempre, até ficar espesso. Retire do lume e acrescente as gemas, uma a uma, mexendo sempre.

Sobreponha 4 folhas de massa filo, pincelando cada uma intercaladamente com azeite e água. Molde-as na tarteira. Corte o excesso e coloque na base para reforçá-la.
Verta o creme na tarteira e Leve ao forno 6 minutos na zona superior. Muito rapidamente abra o forno e passe para a zona média mais 10 minutos (sai do forno com o creme ainda ligeiramente fluido, espessa ao arrefecer).

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA