Powered by CIM|RC

cultura

Avise os miúdos: o musical “A Bela e o Monstro” prepara-se para encantar Coimbra

O espetáculo da Yellow Star Company volta a dar vida às famosas personagens no dia 20 de abril. Já pode comprar os bilhetes.
Ninguém fica indiferente a uma história de amor.

É na infância que conhecemos as histórias que nos vão acompanhar toda a vida, sobretudo quando se tratam de clássicos que passam de geração em geração. Neste mundo, certamente que conhece a “Cinderela”, “a Branca de Neve e os Sete Anões”, a “Bela Adormecida”, entre muitas outras princesas. Está na altura de reviver mais uma das histórias, com a chegada d’ “A Bela e o Monstro” a Coimbra. 

O espetáculo vai passar pelo Convento São Francisco no próximo dia 20 de abril, sábado, pelas 15h30. A narrativa para toda a família tem vindo a conquistar corações desde o século XVIII, altura em que foi escrito por Jeanne-Marie LePrince de Beaumont. Apesar disso, “A Bela e do Monstro” popularizou-se com o filme da Disney, lançado em 1991. 

A performance traz ao público as icónicas cenas da história, com músicas que fazem parte deste mundo imaginário, que já todos conhecem. Tudo começa com um Príncipe, “que vivia num palácio rodeado de rosas vermelhas e era conhecido por ser malvado, preguiçoso e muito vaidoso”. Um dia, uma fada decidiu lançar-lhe uma maldição “transformando-o num monstro”.

Para desfazer o feitiço, o Príncipe teria “de encontrar alguém que se apaixonasse por ele e só nessa altura todas as rosas do Reino voltariam a ser vermelhas”. Mas a questão é: “Quem algum dia irá apaixonar-se por um monstro?”. 

Com encenação de Paulo Sousa Costa e Luís Pacheco, a peça tem no elenco nomes como Rebeca Reinaldo (Bela), Ricardo Soler (Monstro/Príncipe), Pedro Leitão (Mordomo), Rogério Costa (Mercador), Inês Pedro de Campos (Cindy), Sílvia Mirpuri (Gretchen), Guilherme de Bastos Lima (Gastão), Pedro Alexandre Torres (Palito) e Sara César (Fada Clóris).

O texto é uma adaptação de Paulo Sousa Costa. A música ficou a cargo de João Mota Oliveira e Tiago Derriça, a coreografia de Mariana Luís e Pedro Borralho e a cenografia é da autoria de Ana Paula Rocha e José Teles.

O espetáculo é indicado para miúdos maiores de seis anos. Os bilhetes já estão disponíveis online por 20€ nas cadeiras de orquestra e primeira plateia ou 16,50€ na segunda plateia e balcão.

O cartaz.

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA