cultura

“Matriz”, de Sara Vidal, mostra que o folk “não é só para velhos”

Pandemia impossibilitou apresentação pública do álbum mais cedo. Os bilhetes para o concerto já estão à venda.
É no dia 15 de setembro.

A mãe de Sara Vidal costuma dizer que a jovem “começou a cantar antes de falar”. A artista cresceu com os pais a cantarolar pela casa e a ouvir fado e canções de intervenção, pelo que a música sempre teve um papel fundamental na sua vida.

Aos 12 anos, ao ouvir Loreena McKenitt na rádio, percebeu que o folk era o seu género artístico, embora sempre se tenha identificado com a música tradicional. Foi vocalista na banda galega Luar na Lubre, uma das mais reconhecidas a nível internacional, de 2005 a 2011, mas precisava de regressar às origens.

“Matriz” foi editado em 2020, mas a pandemia cortou-lhe as asas e só agora conseguiu apresentá-lo publicamente. Esta sexta-feira, 15 de setembro, às 21h30, no Teatro Cerca de São Bernardo, Sara Vidal sobe ao palco para apresentar o seu primeiro trabalho enquanto cantora independente.

A gestora da associação cultural Sons Vadios assume “não ter expectativas” para o evento. No palco, vai estar acompanhada por Luís Pedro Madeira (piano, guitarra, braguesa), Pedro Damasceno (cavaquinho, bandolim, low whistle, gaita-de-fole), João Cação (contrabaixo) e Rui Lúcio (percussão).

Sara pretende que o seu álbum explore “todas as diferentes versões e dimensões da vida da mulher” e que espelhe também a sua matriz cultural. No que diz respeito ao panorama musical português, a antiga vocalista dos Luar na Lubre espera que o seu trabalho represente “o atrevimento de mostrar o valor da música mais tradicional”, que defende não ser “só para velhos”.

Depois da apresentação em Coimbra, a cantora segue viagem para o Porto, onde vai atuar no domingo, 17 de setembro. Os bilhetes podem ser comprados online. O preço para o público em geral é 10€, podendo variar de acordo com a condição do espectador (se é desempregado ou estudante de Teatro, por exemplo), existindo ainda preços de grupo.

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA