Powered by CIM|RC

cultura

Luxo, fraude e likes. A obsessão de Ana Lúcia Matos pela fama

A apresentadora estará envolvida num esquema de fraude a nível europeu que ocultou mais de 2200 milhões de euros.
A apresentadora só ficava em hotéis de luxo.

A operação em vários países europeus apanhou todos desprevenidos e chegou a Portugal, onde ditou a detenção de 14 pessoas. Entre elas estava uma cara conhecida da televisão: Ana Lúcia Matos.

A apresentadora foi apanhada numa teia de fraude e fuga ao fisco que a levou à cadeia, onde ainda aguarda que sejam reveladas pelo juiz as medidas de coação. Figura pública, a portuguesa de 36 anos tornou-se rapidamente numa estrela o Instagram.

Seguida por mais de 242 mil pessoas, começou a dar nas vistas em 2018 pelos looks luxuosos e viagens exóticas. Afinal, poderia haver um segredo negro por detrás desta vida exótica.

O caso que rebentou esta terça-feira, 29 de novembro, envolveu Ana Lúcia Matos, que já estava afastada da televisão, mas não da fama. No meio de tantas notícias contraditórias que foram publicadas nos últimos dias, explicamos o que envolve realmente este caso.

Quem é e o que faz Ana Lúcia Matos?

Agenciada pela Face Models, começou a carreira como manequim e acabaria por se virar para o mundo da televisão. O primeiro trabalho foi como assistente no programa “Superconcurso” da RTP1. Depois passou pela CMTV e, mais tarde, saltou para a TVI, com “Sempre a Somar”.

Acabaria por se juntar à equipa da Benfica TV, mas manteve-se quase sempre ao lado da TVI, apesar de uma escapadela para apresentar o “Flash Vidas” na CMTV. De volta à TVI, passou por programas como o “Selfie”, “Câmara Exclusiva” e “Somos Portugal”. Além de apresentadora e repórter, trabalhava também relações públicas.

Por que foi detida?

A operação levada a cabo pela Polícia Judiciária — e que teve ramificações noutros países europeus — levou os agentes, segundo o “Correio da Manhã”, até à mansão onde Ana Lúcia Matos. Acordada de sobressalto pelas sete da manhã, terá sido confrontada com dois mandados de detenção, um em seu nome e outro no nome do marido, Max Cardoso.

Terá sido esta relação que levou a uma revolução na vida da apresentadora, por volta de 2018, quando começou a exibir um estilo de vida aparentemente luxuoso. O casal, que vivia numa moradia na Aroeira, foi detido e acusado de fazer parte de um esquema de fraude a nível europeu.

Sob o nome de Operação Alibi, a detenção está inserida numa mega-operação relacionada com uma fraude no IVA. Segundo as autoridades, o esquema terá lesado os contribuintes europeus em perto de 2200 milhões de euros.

Só esta semana, foram detidas pessoas em mais de 13 países da União Europeia. Em Portugal, além de Ana Lúcia Matos e Max Cardoso, terão sido identificadas mais 12 pessoas de nacionalidade portuguesa e francesa. As buscas, que terão decorrido na sua maioria em Portugal, resultaram na apreensão de mais de dois milhões em dinheiro, veículos de luxo, mais de 40 imóveis e mais de 600 contas bancárias.

Segundo a Procuradoria Europeia, o caso revela “a maior fraude carrossel em matéria de IVA jamais investigada na União Europeia”. Neste esquema estarão envolvidas várias dezenas de empresas nacionais

Com base na investigação administrativa, a faturação e as declarações fiscais pareciam estar em ordem. No entanto, uma investigação conjunta de vários procuradores europeus delegados, analistas de fraude financeira, representantes da Europol e de autoridades nacionais permitiu estabelecer “gradualmente ligações entre a empresa suspeita em Portugal e cerca de 9000 outras entidades jurídicas, e mais de 600 pessoas singulares localizadas em diferentes países”, diz a nota da Procuradoria Europeia.

No esquema, que deu origem a várias investigações em países da UE, estarão envolvidas várias dezenas de empresas portuguesas, todas de pequena dimensão, mas com grande volume faturação. O montante que lesou os contribuintes portugueses está estimado em cerca de 300 milhões de euros.

O que motivou as suspeitas?

A apresentadora optou por mostrar a sua vida através das redes sociais e do Instagram. Foi o olhar do público que percebeu a revolução que ocorreu em 2018, altura em que, segundo várias revistas, terá começado uma relação com um empresário luso-francês, o mesmo que agora foi detido, Max Cardoso.

Foi com o empresário que Ana Lúcia Matos teve os seus dois filhos, em 2019 e em 2020. Foi também através das publicações que exibiu uma mudança no estilo de vida.

De repente, faziam-se férias em locais paradisíacos, em hotéis luxuosos nos quais a estadia não custa menos de um par de milhar de euros por noite. Segundo o “Correio da Manhã”, a Polícia Judiciária acredita que muitos dos bens, como a mansão na Aroeira, foram comprados com o dinheiro resultante do esquema de fraude no IVA.

Mais: as empresas de Max Cardoso, sediadas em paraísos fiscais, seriam o veículo para essas transferências e ocultação de riqueza. O luso-francês — cuja face é sempre ocultada nas imagens partilhadas nas redes por Ana Lúcia Matos — será um dos cabecilhas do grupo, bem como uma mulher francesa, que guardava dois milhões de euros em dinheiro numa casa em Guimarães. O marido da apresentadora terá também mais dois familiares envolvidos no esquema.

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA