cultura

Luso vai ter ciclo de cinema ao ar livre (e a entrada é gratuita)

Sessões decorrem sempre à quinta-feira à noite até 14 de setembro. "Cinema Paraíso" é o filme exibido a 3 de agosto.
Filme foi dirigido por Giuseppe Tornatore.

No Luso, vai ser possível ver gratuitamente filmes ao ar livre. O CineLuso — Ciclo de Cinema ao Ar Livre do Luso tem lugar até 14 de setembro, sempre à quinta-feira às 22 horas, e decorre na parte de trás do edifício do Posto de Turismo do Luso. A iniciativa pertence ao Município da Mealhada e ao CineClub da Bairrada, através do Grémio de Instrução e Recreio da Pampilhosa.

Esta quinta-feira, dia 3 de agosto, será exibido o clássico “Cinema Paraíso“, dirigido por Giuseppe Tornatore, com Philippe Noiret, Jacques Perrin e Salvatore Cascio no elenco. Trata-se de um filme de 1988 em que a ação decorre no Cinema Paradiso, o único Cine-Teatro nesta cidade na Sicília, onde os habitantes vão para rir, chorar, dar cotoveladas e protestar cada vez que o padre local censura as cenas de beijos. É aí que o jovem Salvatore e o velho Alfredo manejam o projetor. Ou costumavam manejar, pois a história começa anos mais tarde, quando o anúncio da morte de Alfredo chega à Salvatore, realizador prestigiado em Roma.

Para a noite de 10 de agosto, a escolha recaiu em “Billy Elliot“, de Stephen Daldry. É um filme de 2000 que conta a história de um rapaz de 11 anos que vive numa pequena cidade da Inglaterra, onde o principal meio de sustento são as minas da cidade. Obrigado pelo pai a treinar boxe, “Billy” (Jamie Bell) fica fascinado com a magia do ballet, ao qual tem contacto através de aulas de dança clássica que são realizadas na mesma academia onde pratica boxe.

Uma semana depois (17 de agosto), serão apresentadas três curtas do ator e realizador Buster Keaton. “The Playhouse” (1921), “One Week” (1920) e “The Scarecrow” (1920) são as películas em destaque neste dia. Buster Keaton estreou-se no cinema mudo em 1917 ao lado de Roscoe Arbuckle, tendo produzido até 1921 algumas das principais curtas-metragens cómicas da época. Tratam-se de filmes montados com uma série de truques humorísticos e que mostram a versatilidade como ator.

As duas últimas sessões de agosto (24 e 31 de agosto) estão reservadas para “Casamento Debaixo de Chuva“, de Mira Nair (2001), e “As meninas do Calendário“, de Nigel Cole (2004). A realização de Mira Nair, uma indiana radicada nos Estados Unidos da América, ganhou o Leão de Ouro de Veneza em 2001. Trata-se de uma história sobre um casamento combinado entre os pais dos noivos, à moda antiga. Já o trabalho de Nigel Cole reflete, de forma subtil, o tema da estética, em particular na nudez, e o limite que distingue o erotismo da pornografia.

O encerramento do CineLuso, que tem lugar a 14 de setembro, fica a cargo do filme “Terra Queimada”, que retrata os eventos na Serra do Bussaco em 1810, durante a 3.ª Invasão Francesa. A organização ainda não divulgou o filme da noite de 7 de setembro.

Em nota de imprensa, a vice-presidente do Município da Mealhada, Filomena Pinheiro, refere que “estas sessões de cinema que estamos a oferecer são muito mais do que uma simples atividade de lazer”. “É uma oportunidade preciosa para nos desligarmos do mundo exterior, imergir em diferentes realidades e absorver as diversas perspetivas e culturas que as películas nos proporcionam, expandindo os nossos horizontes e enriquecendo a nossa compreensão do mundo”, afirmou a autarca.

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA