cultura

José António Quintanilha deixa Coimbra olhar o mundo através da sua lente

Exposição fotográfica é inaugurada esta sexta-feira. Autor pretende dar um novo significado a objetos do dia a dia.
Visite a exposição das 13 às 18 horas, de terça~feira a sábado.

Objetos que “têm representações de outros objetos, de coisas retiradas do mundo. São ruínas, relíquias, representações, alegorias de uma história petrificada”. É assim que José António Quintanilha descreve a sua mais recente exposição, intitulada “Enquanto o mundo se move”.

A mostra artística é o resultado de 60 fotografias, a preto e branco, captadas e trabalhadas em laboratório por Quintanilha, que lhes atribui um novo significado pela sua lente. A inauguração da mostra artística está agendada para as 18 horas da próxima sexta-feira, 22 de setembro, na Sala da Cidade da Câmara Municipal de Coimbra.

O curador da exposição, José Maçãs de Carvalho, considera que os elementos fotografados são “marcas de um real em transformação, perdidos na linha do tempo” e afirma que se encontram também “resistentes à passagem do tempo, num estado de suspensão ou levitação que criam uma atmosfera difusa, ora estranha, ora familiar”.

Vão estar presentes na estreia da mostra José Maçãs de Carvalho, o presidente da Câmara Municipal de Coimbra, José Manuel Silva, e a chefe da Divisão de Museologia, Elisabete Carvalho. “Enquanto o mundo se move” vai estar patente na Sala da Cidade até 22 de novembro e pode ser vista de terça-feira a sábado, das 13 às 18 horas. 

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA