Powered by CIM|RC

cultura

Estes são os melhores artistas de Coimbra em 2023

Foi um ano repleto de novidades e estreias e estas são as escolhas da redação da New in Coimbra.
Conheça a lista dos melhores nomes do ano.

Os finais de ano são sempre uma altura em que repensamos todas as decisões que tomámos nos últimos 12 meses. É nesta altura que começam a surgir os primeiros objetivos a cumprir nos 365 dias que se avizinham. A New in Coimbra não é exceção, por isso, preparámos uma retrospetiva do ano de 2023, para destacar as novidades na área do lifestyle que mais impactaram os leitores. 

Além dos restaurantes e das lojas, apresentámos as últimas bandas e vocalistas, conversámos um pouco sobre a sua história e os planos para o futuro. Por isso, decidimos destacar os nomes promissores desta área. A partir desta pré-seleção editorial — que é referente às aberturas e novidades do último ano —, os nossos leitores poderão votar nos seus favoritos para eleger o vencedor na respetiva secção. Se ainda não sabe em quem votar, apresentamos-lhe os candidatos. 

Uma delas é a banda mirandense, Mountain Valley, que lançou o seu primeiro trabalho em abril de 2023. A argumentista Ana Ramos também foi uma das surpresas deste ano. Fez parte do filme “O Misterioso Caso de Lázaro Lafourcade”, que é considerado “uma comédia negra de crime”, por Tiago Durão, o realizador.

Segundo a sinopse, “Lázaro Lafourcade, um velho capitalista, é encontrado morto na sua mansão, depois de um jantar com a sua família peculiar. Um inspetor (José Raposo) é chamado para investigar o crime e descobrir o culpado, mergulhando no glamoroso e sórdido submundo dos Lafourcade, dando início à boa e velha história de crime onde todos são suspeitos. Um Whodunnit, que nos remete aos anos 50 e que resulta numa narrativa eat the rich, enquanto decorre a investigação na casa dos Lafourcade”.

Este ano, em estreia absoluta, o Coro das Mulheres da Fábrica apresentou o espetáculo “Baixo-Raso-Riba”. O evento estava marcado para o dia 25 de novembro, na Sala D. Afonso Henriques e os bilhetes esgotaram. Fez parte da programação do Convento São Francisco, que conta com espetáculos até ao final do ano.

Por último, temos Beatriz Villar. Em entrevista à New in Coimbra, confessou que “o fado é que a escolheu”. Como vocalista do grupo “Na Cor do Avesso” — vencedor do prémio Edmundo Bettencourt, em 2019, que visa galardoar os trabalhos sobre o fado de Coimbra em formato de disco — estreou-se no Convento São Francisco e já pisou vários palcos.

Participou ainda no “Got Talent Portugal”, onde deu voz à música icónica da cidade com os temas “Asas Brancas”, de Afonso de Sousa e “Trova do vento que passa”, de Adriano Correia de Oliveira, tendo chegado à semifinal. Desta aventura, surgiu o desejo de continuar e nasceu o primeiro EP, “Viragem”. 

Se algum destes artistas for o seu favorito, não hesite e vote nos Prémios NiC. Cada pessoa poderá votar num único nomeado por categoria e apenas uma vez, até dia 25 de dezembro. Carregue na galeria para conhecer um pouco melhor cada um dos candidatos.

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA