cultura

Bispo, Pedro Mafama, José Cid — e outros concertos para ver à borla este mês em Coimbra

Entre as várias propostas dos municípios, a NiC reuniu os melhores espetáculos que vão passar pelo distrito até 30 de junho.
Fique atento.

Com a subida das temperaturas, podemos dizer que está oficialmente aberta a época dos concertos ao ar livre. Além disso, junho é o mês em que começam a surgir cada vez mais propostas de música e animação pelas cidades e o distrito de Coimbra não é exceção, claro. 

A pensar nisso, a New in Coimbra preparou uma seleção de alguns concertos gratuitos a que poderá assistir até ao final do mês. Há propostas para toda a família e com nomes que todos irão conhecer.

Um dos destaques deste mês é a Feira de Artesanato e Gastronomia da Mealhada, com tasquinhas, dezenas de artesãos e música. O programa começou no dia 8 de junho e estende-se até 16 de junho, domingo. Durante estes nove dias, a cidade promete transformar-se “num ponto entre os mealhadenses, os visitantes e a cultura da região”, sublinha o município.

Além disso, ainda em junho poderá conhecer de perto as maravilhas da Serra de Lousã, com a feira de São João da Lousã. O evento decorre entre os dias 20 e 24 de junho.

Confira a lista preparada pela NiC para marcar na agenda.

José Cid

O artista é a cabeça de cartaz deste ano, na Feira de Artesanato e Gastronomia da Mealhada. O espetáculo vai decorrer no palco 1 do recinto pelas 22h30.

José Cid, natural de Chamusca, é um dos cantores e compositores mais conhecidos em Portugal. O seu repertório conta com êxitos como “Ontem, Hoje e Amanhã”, “A minha música”, o “Como o macaco gosta de banana” e ainda “Cabana junto à praia”. 

Na Feira de Artesanato e Gastronomia da Mealhada, este ano subiram ao palco artistas como Marisa Liz, Dino D’Santiago, CRUA, Tertúlia dos 40, Sons do Minho. José Cid encerra o cartaz referente às grandes atuações do evento.

Lena d’Água

O espetáculo está marcado para o dia 21 de junho, pelas 22 horas, nas Festas São João. A cantora portuguesa vem relembrar os velhos êxitos da década de 80 ao público da Figueira da Foz. 

A Lena D’água lançou o seu primeiro disco de música infantil “Qual É Coisa Qual É Ela?”, em 1979, sob o nome de Maria Helena Águas. Nos anos 80, a artista conquistou as tabelas de venda e os portugueses. Teve uma longa carreira repleta de sucessos durante dez anos, tanto a solo como nos grupos Salada de Frutas e na Banda Atlântida, até que foi obrigada a afastar-se da ribalta. 

Em 2019 regressou com um novo disco, “Desalmadamente”, e reconquistou o seu lugar na música portuguesa. No entanto, ninguém se esquece dos seus grandes sucessos, tais como “Dou-te um doce”, “Dança Comigo”, “Robot” e ainda “Estou Além”.

Bispo

O concerto de Bispo está marcado para o dia 21 de junho, pelas 22 horas, na feira de São João em Lousã. Pedro Bispo é rapper português e começou a compor as próprias canções com apenas 11 anos e foi nas redes sociais que se deu a conhecer ao mundo. Já em 2023 conquistou o prémio europeu de “Melhor Artista Português”, atribuído pela MTV.

É conhecido pelos temas “Essa Saia”, em colaboração com Ivandro que conquistou quatro platinas e mais de 11 milhões de visualizações. Colaborou ainda com Bárbara Tinoco com o tema “Planeta” que, em 2023, ultrapassou mais de dez milhões de streams no Spotify.

Pedro Mafama

Pedro Mafama também vai marcar presença nas Festas São João na Figueira da Foz, no dia 22 de junho, pelas 22 horas. O sucesso de Pedro é relativamente recente que tem estado a conquistar os mais novos. 

O seu caminho pelo mundo da música começou com a criação de sons e letras para outros artistas, tais como Dino D’Santiago a Slow J, de Richie Campbell a Conan Osíris e até mesmo Ana Moura, com quem tem um filho. Em 2023, ganhou o próprio palco com o tema “Preço Certo”, que alude a um dos programas portugueses mais conhecidos da televisão portuguesa, com o mesmo nome. 

Emanuel

No mesmo dia, 22 de junho, Emanuel vai subir ao palco, pelas 22 horas, no âmbito da feira de São João, em Lousã. Emanuel é um dos cantores populares mais conhecidos do País e há quem acredite que foi a principal razão de rotular este estilo de música como pimba. Tudo isto, graças ao êxito “Pimba Pimba”, em 1995.

Além disso é responsável pelos temas “Ao Ritmo do Amor”, “Baby, És uma bomba”, “I Love Kuduro House” e ainda “Rapaziada Vamos Dançar”. Mesmo sendo canções com alguns anos, as letras passam entre gerações e fazem sucesso em todas as festas. 

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA