cultura

Autor da melhor obra de arte do século XXI expõe em Coimbra

Ragnar Kjartansson apresenta "não sofra mais" no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova. Mostra integra-se na Bienal Ano Zero.
É o primeiro trabalho de Ragnar Kjartansson em Portugal.

O artista islandês Ragnar Kjartansson vai expor em Coimbra, a partir do próximo dia 14 de abril, o seu mais recente trabalho a solo denominado “não sofras mais”. Trata-se da primeira apresentação em solo português daquele que foi considerado o autor da melhor obra de arte do século XXI até ao momento. A presença de Ragnar Kjartansson integra-se no Ano Zero – Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra e este trabalho poderá ser visitado no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova.

“Não sofras mais” foi inspirada pelo slogan dos famosos rebuçados Dr. Bayard que Kjartansson conheceu numa visita a Portugal. Na exposição, que pode ser vista até 16 de julho, irão ser apresentadas obras inéditas que Ragnar concebeu propositadamente para o espaço e a propósito do espaço do emblemático mosteiro. A exposição do artista islandês coincide com a comemoração dos dez anos de inscrição da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia, na Lista do Património Mundial reconhecido pela UNESCO.

Esta classificação deu, aliás, origem à Bienal, que propõe uma reflexão sobre o confronto entre arte contemporânea e património, explorando os riscos e as múltiplas possibilidades associadas a este património cultural. 

Além da exposição, o Anozero, organizado pelo Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Câmara Municipal de Coimbra e Universidade de Coimbra, propõe um programa educativo extenso, que inclui visitas mediadas à exposição e ao mosteiro. Pode ser visitada de quarta a domingo, entre as 11 e as 19 horas.

Ragnar Kjartansson nasceu em 1976 em Reiquiavique, cidade onde vive e trabalha. No seu trabalho envolve vários meios artísticos, criando instalações de vídeo, performances, desenhos e pinturas que se baseiam em inúmeras referências históricas e culturais. No Thyssen Bornemisza, em Madrid, em 2022, a exposição “Emotional Landscapes” de Ragnar Kjartansson foi uma das mais vistas de sempre naquele museu. A obra “The Visitors” alcançou fama mundial em 2019 ao ser aclamada pelo jornal inglês “The Guardian” como a melhor obra de arte do século XXI até à data.  

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA