cultura

Abril Vermelho: a exposição que promete refletir sobre a importância da Revolução

A mostra temporária está patente de 5 de abril a 16 de junho, no Centro de Artes Visuais, em Coimbra.
Pretende dar voz através da arte.

Em 2024, celebram-se os 50 anos do 25 de Abril. A Revolução dos Cravos devolveu a liberdade aos portugueses e pôs fim ao regime ditatorial em vigor. No entanto, este tema continua a ser bastante atual e é importante relembrar a sua importância. A prova disso são os diversos programas de atividades que têm surgido por todo o País, incluindo Coimbra. 

Nesse sentido, o Centro de Artes Visuais prepara-se para inaugurar mais uma exposição. “Abril Vermelho” propõe a “artistas nacionais e internacionais problematizem o significado deste meio século de liberdade e democracia no nosso País”, explica a organização. A mostra vai ser estruturada a partir de obras existentes e projetos encomendados. 

A ideia é “dar visibilidade a modos de entender a Revolução em sentidos polissémicos, abrindo um espaço de discussão desejado sobre o que se cumpriu e o que falta cumprir”. A exposição conta com a participação de vários artistas com alguma ligação a esta data especial, como Ângela Ferreira, António Olaio, Filipe Marques, Isabel Ribeiro e muitos mais. 

A exposição deu prioridade a artistas nascidos depois de 1974. Aqui, serão demonstradas as suas preocupações através de propostas visuais com a história associada ao 25 de Abril, de modo a refletir sobre a sua importância, quer na altura, como no contexto atual. Assim, será dado particular destaque aos países coloniais, ao expor as vozes que reflitam também as “próprias narrativas de empoderamento social, político e individual”. 

O “Abril Vermelho” vai estar patente, a partir do dia 5 de abril até 16 de junho, no Centro de Artes Visuais. A entrada é gratuita e pode visitá-la de terça a domingo, entre as 14 e as 19 horas. 

 

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA