compras

Padrões exóticos, arrojados e sensuais: conheça a nova coleção da Constança Bastos

As novas peças chegaram à marca conimbricense a 29 de abril, com uma aposta em peças únicas para não passar despercebida.
Já está disponível.

Constança Bastos sempre foi fascinada pelas diferentes texturas e formas de dar vida às peças de roupa. Apesar ser de Coimbra, tirou o curso de Design de Moda na Escola de Moda de Lisboa. Isso deu-lhe a possibilidade de trabalhar na área durante os cinco anos seguintes, quer em Lisboa como no Porto. 

“Costumo dizer que a roupa é uma tela em branco, onde consigo expressar-me”, explica a jovem de 25 anos. Dentro deste mundo, a sua grande paixão são os padrões, porque permitem que seja o mais criativa possível e onde se sente mais confortável. “Não existem muitas restrições no processo de criação”. 

Foi com essa missão que Constança construiu a própria marca em junho do ano passado, para que pudesse criar as peças que realmente desejava. Desde então é tudo criado pelas suas mãos, desde a escolha dos modelos à elaboração dos padrões e aos tecidos escolhidos. Constança só não faz a confeção das peças, uma vez que colabora com outros ateliers portugueses e dessa forma garante alguma “sinergia”.

“Os padrões são o grande foco da marca, porque sinto que é tudo o que me rodeia. A inspiração pode surgir tanto das texturas das paredes, as cores do céu ou até mesmo do chão e paisagens de algum local”, diz à New in Coimbra.

Toda a peça é sempre criada em torno do estampado escolhido. “Há desenhos que funcionam melhor num vestido e outras em calças, depende muito. O padrão é que cria a roupa”. 

A decisão de colaborar com outros ateliers de norte a sul de Portugal foi algo bastante natural. O objetivo é ajudar o desenvolvimento económico de pequenos negócios. O processo parece simples: primeiro, Constança trata de todo o processo criativo que demora cerca de cinco meses; depois cria as samples que envia para o atelier. Em média, apenas na fase da confeção, cada peça demora cerca de um mês.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Constança Bastos (@constancabastos.studio)

Todas as peças são feitas em pequenas quantidades, de modo a cumprir os princípios éticos e ecológicos que a marca se propõe. Nesse sentido, a marca Constança Bastos não produz coleções nem roupas sazonais.

“Os tecidos escolhidos não são nem muito frios, nem muito quentes e pretendemos lançar sempre algumas peças durante todo o ano”, salienta. Nesse sentido, todas as peças são exclusivas e limitadas. “Para uma pequena marca não é sustentável produzir em grandes quantidades porque se gasta muito tecido. Desta forma, não ficamos com stock e fica à venda até esgotar”, acrescenta.

Além de que não existe qualquer preocupação em manter todas as peças coesas entre si. Ou seja, não existe um tema ou cores que unam as diferentes roupas. Esta escolha foi feita para ser agradar a diferentes pessoas com gostos distintos. 

Essa aposta incomum é uma das formas de Constança ajudar o cliente a expressar o próprio estilo, para que se sinta confiante a sair da zona de conforto. “Acima de tudo, quero que a moda seja para eles como é para mim, uma exibição da individualidade”.

Para garantir essa missão em todas as áreas, Constança definiu a própria tabela de tamanhos. “Criámos uma novo intervalo de tamanhos para corpos reais”, explica.

A designer assume que esse é um problema nas lojas conhecidas como fast fashion e pretende precisamente contrariar essa questão. “Queremos que apenas um número assente bem em diferentes corpos que tenham medidas diferentes”. 

Carregue na galeria para conhecer as novas peças da Constança Bastos.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA