Powered by CIM|RC

compras

O novo espaço de piercings e tatuagens onde o moderno e o tradicional se cruzam

Preservar a tradição e oferecer uma experiência única é o que a Lucky Panther Parlour pretende fazer.
Abriu dia 20 de novembro.

Fazer uma tatuagem é muito mais do que colocar tinta no corpo, é contar uma história, eternizar um momento ou alguém, até mesmo uma experiência de vida. Aliando a tradição com o profissionalismo, os tatuadores Bráulio Alexandre e Nuno Holanda pretendem marcar a diferença nas pessoas com o seu trabalho, agora num novo espaço, em Coimbra.

A Lucky Panther Parlour, situada na Praça do Comércio, na Baixa de Coimbra, abriu esta segunda-feira, 20 de novembro, e está preparada para receber e fazer o melhor trabalho possível nos clientes que por lá passarem. Funcionam de segunda a sábado, das 10 horas às 20 horas.

A loja é gerida por Bráulio Alexandre, 46 anos, e a sua companheira, Mafalda, 39 anos. Bráulio é de Coimbra e viveu na cidade até aos 20 anos. No entanto, mudou-se para Lisboa, onde lá permaneceu por 26 anos, juntamente com a sua parceira.

A vontade de voltar a Coimbra já existia, mas não imaginavam que a mudança chegasse tão cedo. Há cerca de dois meses, ao visitar a cidade, conversou com Mafalda e ponderaram regressar à cidade. Apesar de ter sido um pensamento repentino, foi uma “decisão pensada”.

Bráulio sempre foi tatuador, mas nunca teve um espaço seu, então, se era para regressar a Coimbra seria para trabalhar por conta própria. Por isso, juntou-se à sua parceira e abriram a loja Lucky Panther Parlour. Bráulio faz as tatuagens e os piercings e Mafalda gere o negócio, tratando das burocracias, gerências e receção. Para ajudar a marcar a diferença na pele dos clientes, Bráulio conta com o seu amigo, também tatuador, Nuno Holanda, 46 anos, cujo trabalho descreve como “incrível”.

Quando questionado sobre o porquê de seguir este ramo, Bráulio responde que sempre teve a parte do desenho muito presente na sua vida e um fascínio por tatuagens, então, o seu gosto pela arte de tatuar cresceu naturalmente. “Não sei se fui eu que escolhi ser tatuador ou se foram as tatuagens que me escolheram a mim”, acrescentando: “Esta profissão é, sem dúvida, incrível quando percebemos que a tatuagem é mesmo algo mais profundo que um desenho na pele”.

Nesta nova etapa da vida profissional, juntou-se ao seu grande amigo de infância, Nuno, com o qual já chegou a ter, nos anos 90, uma pequena barraca de pinturas na Queima das Fitas de Coimbra. Praticamente 30 anos depois, surgiu a oportunidade de criarem um projeto num espaço próprio e trabalharem juntos. “É um privilégio muito grande poder trabalhar com as pessoas de quem gostamos e em quem confiamos”, realça Bráulio, que, no seu caso, trabalha com a companheira e o seu amigo.

As tatuagens têm um custo mínimo de 50€, “mesmo que seja para fazer apenas um sinal”, por conta de todos os gastos, pois só trabalham “com material de qualidade”. A ideia do espaço é trabalhar de uma forma tradicional e mostrar que as tatuagens “são mais profundas que apenas uma tinta na pele”.

As tintas usadas são seguras, com o selo de qualidade, dentro da norma europeia. “Tatuar é super seguro. Sempre foi e agora ainda é mais”, referiu Bráulio. No entanto, apela sempre a quem tem problemas de pele, a aconselhar-se primeiro com um dermatologista.

Os profissionais do espaço trabalham com máquinas tradicionais de bobines, daquelas que, antigamente, eram usadas nas campainhas. Tal como as máquinas e o método de trabalho, também a decoração do espaço está alinhada com este pensamento de preservação da tradição.

Quanto aos piercings, fazem de todos os tipos e em todo o corpo. Usam apenas aço cirúrgico e titânio, pois acreditam ser o melhor para trabalhar no corpo. Custam entre os 25€ e os 50€.

Carregue na galeria e veja como está o espaço e os trabalhos realizados pelos tatuadores.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Praça do Comércio, 74
    3000-116 Coimbra
  • HORÁRIO
  • Segunda a sábado das 10h às 20h

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA