compras

As flores de gesso com um cheiro incrível para levar a natureza sempre consigo

A Rosa Rita foi o destaque da passada edição do Coimbra Hype Market e promete voltar nos dias 20 e 21 de abril.
Há muito por onde escolher.

A vida é feita de planos que normalmente incluem estudar, trabalhar na área e evoluir a partir daí. Sara Alves não foi exceção. Esteve cerca de dez anos no ramo da Medicina Dentária, até que a pandemia de Covid-19 a obrigou a mudar o rumo que tinha traçado. “Tive de descobrir soluções rapidamente”, começa por contar à New in Coimbra. 

O irmão mais novo, Miguel Alves, já tinha o próprio projeto de bijuteria de aço inoxidável, o Prestigium. “Ele estava à procura de alguém que pudesse fazer a gestão das redes da marca e como estava desempregada, decidi ajudar”.

O grande objetivo de Sara era levar a Prestigium para os diferentes mercados pelo País fora, mas precisava de uma componente artesanal para conseguir participar. E este foi o motor que a levou a pensar em criar a própria loja de bijuteria.

Já estava bastante familiarizada com o gesso devido à antiga profissão. Por isso, começou a criar as primeiras peças. “Inicialmente, a ideia era criar bijuteria sem qualquer pintura, apenas utilizar corante no processo de moldagem. No entanto, tive receio que ao longo do tempo acabasse por manchar a pele dos clientes”, explica a artesã de 36 anos. Agora, a Rosa Rita vende peças pintadas à mão e todas elas são perfumadas, como flores verdadeiras. 

Durante todo o processo, Sara nunca pensou homenagear a avó, mas o processo aconteceu sem dar conta. “Queria diferenciar as minhas peças das do meu irmão e, para isso, era preciso um nome”, conta. Não foi fácil, mas um dia enquanto conversava com uma amiga de infância surgiu o nome da avó paterna, Rosa Rita. “Nesse momento, deu-se um clique na minha cabeça. Foi quase uma epifania”.

Assim, a designação junta o nome de uma flor — rosa — e a própria avó de Sara, que também fazia arranjos florais e tentava passar o conhecimento à neta.

“Curiosamente, fiquei responsável por tratar de uns papéis para o meu pai. Na altura, ainda ninguém sabia o nome do projeto. Nesse dia, descobri a assinatura da minha avó, que acabou por se tornar no logotipo da marca”, afirma. O objetivo é criar uma experiência sensorial, em que os clientes possam tocar, ver e cheirar.

Depois de muita pesquisa sensorial, a fragância utilizada é uma mistura dos perfumes favoritos de Sara, sendo colocada na parte de detrás da peça, de modo a evitar possíveis manchas. Deste modo, mesmo que o cheiro desapareça ao longo dos meses, pode sempre colocar a própria essência que desejar. “A verdade é que ninguém está à espera que flores de gesso tenham realmente cheiro. Por isso, assim que chegam a peça ao nariz ficam surpresas”. 

Coimbra entra na longa lista de mercados por onde a Rosa Rita passa. “Mesmo depois de muitos receios e ânsias, decidimos apostar nesta cidade e tem sido uma surpresa muito agradável”, salienta. Nos últimos seis meses, a marca esteve em três datas do Coimbra Hype Market e já está confirmada a presença na próxima edição, marcada para os dias 20 e 21 de abril. 

Cada peça é totalmente feita à mão e demora algumas horas a ser concluída. O processo parece simples, basta colocar o gesso no molde pretendido e esperar 40 minutos até secar. Depois, têm de se limar as arestas para que fique liso e homogéneo. Tudo termina depois da pintura, fase em que as flores florescem depois de horas de trabalho.

Apesar das flores e da bijuteria serem a preocupação central, Sara quis apostar em novos produtos como imãs e artigos de decoração. Além disso, pretende começar a produzir lembranças para batizados e casamentos. Este mês, começou a vender recargas com o próprio perfume para que as pessoas possam renovar os aromas quando desejarem. 

Todas as peças estão disponíveis online. Caso prefira vê-las ao vivo, a Rosa Rita vai estar presente na próxima edição do Coimbra Hype Market, no Mercado Municipal D. Pedro V. O preço médio de cada peça é de 15€. 

Carregue na galeria para conhecer melhor o trabalho de Sara Alves, com a Rosa Rita. 

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA