comida

O novo restaurante ideal para longas noites entre amigos com boa comida e vinho

O Oito voltou a abrir na passada sexta-feira, 1 de março, com novas propostas e muitas novidades.
Já pode visitar.

A Praça 8 de Maio é um dos principais largos de Coimbra que se define pela Igreja do Mosteiro de Santa Cruz. Fundado em 1131, este foi o mosteiro do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, que dava a Coimbra o título de capital do Reino e onde o monarca foi sepultado. Anos mais tarde, juntou-se o seu filho, D. Sancho I. Por esta e outras razões, o Mosteiro foi considerado monumento nacional, em 1910.

E nesta longa história nacional, também fez parte o restaurante Carmina de Matos que abriu, pela primeira vez, em 1938. Por aqui passaram diversas gerações e o espaço foi crescendo, tal como a cidade de Coimbra. No entanto, 2024 foi o ano de reestruturar completamente a gerência deste espaço, uma vez que foi vendido aos sócios do Sete Restaurante. 

“O Sete Restaurante celebra sete anos de existência em 2024 e sentimos que fazia todo o sentido aproveitarmos esta oportunidade de estender os nossos serviços e investir num novo conceito”, explica um dos sócios, Paulo Pechorro à New in Coimbra. O Sete Restaurante é bastante procurado e existem muitos clientes que, muitas vezes, ficam sem almoçar, devido aos condicionamentos do espaço. “Agora, sempre que não conseguirmos sentar os clientes, o objetivo é encaminhá-los para o nosso novo restaurante”. 

A partir de janeiro deste ano, o Carmina de Matos passou a chamar-se Oito. “Não fazia sentido mudar muito o nome, é um restaurante cheio de história e vivência. E queremos continuar a homenagear esse legado”, acrescenta. Porém, como não foi possível manter a designação original, os novos proprietários decidiram continuar a numeração do restaurante, ou seja, depois do Sete, seguiu-se o Oito.

A aposta continua a assentar na comida tradicional, com uma oferta bastante semelhante à do irmão, o Sete. “A filosofia é idêntica, ou seja, trazer pratos tradicionais com uma diferente apresentação e processo de confeção. No Sete, a empada de leitão é muito procurada e a ideia é levar essa transformação para o Oito”.

O edifício é composto por quatro pisos com capacidade para 100 pessoas e ainda um terraço. A antiga gerência dividiu-o em quatro partes: a taberna, o restaurante, sala de eventos e o rooftop bar. Agora, os dois primeiros pisos vão funcionar enquanto restaurante e o terceiro piso e o terraço apenas para grupos e eventos. 

“Ter uma área dedicada a eventos era uma grande lacuna da nossa marca. Como o espaço era pequeno, era impossível funcionar desta forma. São dois espaços diferentes, com comida diferente, no entanto, com a mesma promessa de qualidade e comprometimento”, sublinha o sócio de 49 anos.

Todo o menu é pensado pelo sócio-gerente Dionísio Ferreira. As entradas são chamadas “Sete inícios possíveis” e pode encontrar sopa de peixe (4,9€), caldo verde (3,9€), morcela assada com abacaxi (6,9€), salada de bacalhau com azeitonas e pimentos (6,6€) e legumes da estação, com lentilhas e sementes de abóbora (6,5€).

Os pratos principais seguem a mesma lógica e, por isso, são “sete maneiras de continuar”. Aqui, algumas das opções são tibornada de bacalhau (18,9€), salmão corado com legumes salteados e molho de salsa (15,9€), bife da vazia com molho de francesinha (19,8€), pernil de porco com mostarda e migas da Lousã (18,9€) e uma empada de chanfana (16,1€).

Nas “sete sugestões vegetarianas” há migas da Lousã com alface grelhada (12,9€), Brás de legumes (14,4€), puré de batata doce, grão de bico e sementes de girassol (13,9€). Para terminar a refeição, “além das sete tentações”, pode escolher entre mousse de chocolate negro (4,7€), panna cotta de café e molho de baunilha (5,1€), pudim de pão, nozes e toffee (4,6€), carppaccio de abacaxi, infusão canela e sorvete de lima (4,2€), frutas, hortelã e sorvete de framboesa (4,6€).

Além disso, existem imensas propostas de vinho para acompanhar qualquer prato. Nos vinhos rosé, os destaques vão para a Quinta de Poço Lobo (29,1€), Baga/Pinot Noir Besta (15,9€) e ainda da Quinta Arco Só (17,2€) Nos vinhos tintos, algumas das opções são Chryseia (97€), Quinta do Ataíde Touriga Nacional (36,5€) e Quinta dos Castelares (16,5€).

Carregue na galeria para conhecer melhor as instalações e os pratos disponíveis no Oito Restaurante, em Coimbra.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Praça 8 de Maio
    3000-141 Coimbra
  • HORÁRIO
  • Segunda a domingo das 12h30 das 15h e das 19h às 22h30
PREÇO MÉDIO
Entre 20€ e 30€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA