comida

O novo restaurante de Coimbra serve pizzas artesanais, carpaccio e carnes maturadas

O Carolino abriu no dia 24 de maio e o foco principal são os ingredientes sazonais e frescos trabalhados pela mão de dois chefs.
As famosas amêijoas.

Vítor Pereira, 37 anos, sempre esteve ligado ao mundo da restauração por influência da família. Viajou até ao Reino Unido com o intuito de obter maior conhecimento e ganhar mais experiência na área, mas foi através do livro de Marco Pierre White, um conhecido chef inglês, que encontrou a motivação para traçar o próprio caminho.

A esta aventura juntou-se Bruno Paiva, de 33 anos. Depois de diversas jornadas gastronómicas e incursões por diferentes culturas de Londres até Phuket, uma província na Tailândia, regressou a Portugal. Com um pequeno empurrão gerado pela pandemia, Bruno decidiu aprender a arte da massa mãe em formato de pizza e diferentes formatos de pão. Desde então, é a sua principal área de interesse.

“Foi um encontro feliz”, é assim que os chefs resumem a experiência de trabalharem juntos. Ambos já tinham o desejo de terem uma casa de pasto moderna. No fundo, pretendiam criar um “espaço com identidade própria que ligasse a gastronomia ao serviço”. Com essa proposta, o Carolino abriu dia 24 de maio, na região conhecida pelo arroz Carolino, em Coimbra.

O novo restaurante de bairro tem como ponto de partida os ingredientes sazonais, combinados com o melhor que Coimbra tem para oferecer. E claro que não podiam faltar o arroz do baixo Mondego e a carne do pasto das zonas ribeirinhas. Além disso, o peixe chega todos os dias do mar e rio. Um dos pontos fortes é o facto de criarem o próprio pão e pizzas artesanais, seguindo o método de fermentação lenta e natural.

O espaço tem uma localização privilegiada e a decoração reflete uma certa portugalidade, que os chefs não têm medo de assumir. Também há elementos que homenagear as ceifeiras no cultivo de arroz no Mondego e ainda um retrato da avó do chef Vítor.

Todos os clientes têm vista direta para a cozinha e existem duas mesas altas, onde podem ficar enquanto esperam por uma mesa, ou se preferir, comer ali mesmo. O Carolino tem dez lugares no balcão e 48 nas mesas. A música ambiente vem diretamente da playlist da adolescência dos chefs e, por isso, não irão faltar os êxitos dos anos 80 e 90.

A ementa do restaurante é adaptada a cada estação. As refeições começam com um carpaccio de rubia galega maturada e pickle de cebola roxa (16€) ou uma camarita frita e aioli de limão (8,4€). Nos pratos principais destaca-se o Carolino caldoso de peixe e marisco (45€) ou qualquer uma das carnes maturadas (68€/75€). Para terminar a refeição há leite creme da mãe do chef (4,5€) e o arroz doce da dona Laura (4,5€). À hora de almoço há uma sugestão de sopa e de prato do dia, que inclui uma bebida, pão de massa mãe e café por 11,5€.

Além disso, a bancada vai estar disponível para quem quiser assistir aos jogos do Europeu, enquanto se delicia com umas amêijoas à Bulhão Pato (19,5€) ou uns bolinhos de bacalhau (3,5€) e bebe a sua cerveja de final de dia. Em qualquer das refeições, há sempre um vinho que pode juntar. A carta de vinhos é composta maioritariamente por referências portuguesas, no entanto, também há rótulos internacionais de pouca intervenção.

Todas as pizzas e o pão são feitos no próprio dia. “Quisemos garantir que chega ao cliente o melhor que fazemos, em termos de qualidade de produto. Foi nas pizzas que percebemos que iríamos cumprir de melhor maneira”, explicam os sócios. Para isso, Bruno quis reunir os melhores ingredientes italianos e regionais.

Ao postigo, as pizzas mais pedidas têm sido pepperoni, marinara, braseola e a de fiambre Italiano e cogumelos frescos, a acompanhar com cerveja. Já no restaurante, a aposta tem sido em pratos mais completos.

Carregue na galeria para conhecer o novo restaurante Carolino, em Coimbra.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Figueira da Foz 166
    3000-182  Coimbra
  • HORÁRIO
  • Terça a sábado das 12h às 15h e das 19h às 22h30
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
comida portuguesa

MAIS HISTÓRIAS DE COIMBRA

AGENDA